loader

Autárquicas: distrital do PSD escolhe Carlos Monteiro, mas nome de Sérgio Costa também seguiu para Lisboa - Rádio Altitude

  • Home    /    
  • Atualidade    /
  • Autárquicas: distrital do PSD escolhe Carlos Monteiro, mas nome de Sérgio Costa também seguiu para Lisboa - Rádio Altitude

A comissão política distrital do PSD aprovou hoje o nome do actual presidente da Câmara da Guarda, Carlos Monteiro, para ser o candidato do partido às próximas eleições autárquicas.

A escolha começou por ser feita por unanimidade no órgão mais restrito (a comissão permanente) e foi, depois, confirmada na comissão política alargada, onde têm assento os presidentes das comissões políticas de secção. Aqui, Carlos Monteiro teve o voto contra do líder da concelhia da Guarda, Sérgio Costa, e as abstenções de dirigentes de outros concelhos representados.

Porém, a hipótese de Sérgio Costa ainda ser o escolhido não está completamente afastada. O mesmo órgão tomou conhecimento que havia já sido remetida pela concelhia, directamente à direcção nacional, a indicação do antigo vice-presidente do município. E considerou que ambas as propostas (a de Carlos Monteiro, feita pela distrital; e a Sérgio Costa, pela concelhia) poderão ser apreciadas pela comissão política nacional, até por se tratar da escolha para a Câmara de uma capital de distrito. O “desempate” será agora feito em Lisboa.

A estrutura presidida por Sérgio Costa tinha proposto, em Dezembro, que o actual vereador sem pelouros fosse o cabeça de lista do partido à Câmara. Disso mesmo deu conta numa extensa carta então remetida ao presidente da distrital social-democrata, Carlos Condesso, também chefe de gabinete do presidente da Câmara.

Na missiva, subscrita pelos membros da concelhia e enviada também ao secretário-geral do partido, José Silvano, era referido que «o nome do candidato do PSD que tem a capacidade de continuar a garantir a
senda de vitória iniciada em 2013, conhecedor de todo o Concelho e das suas gentes, das suas necessidades, das suas tradições, dos seus anseios, do caminho a trilhar para o desenvolvimento futuro, mantendo a Câmara Municipal da Guarda governada pelo PSD, é o Eng. Sérgio Fernando da Silva Costa».

Mas a carta é acompanhada por um longo rol «de vários episódios e factos bem elucidativos» das razões pelas quais a organização local do PSD entende que o actual presidente da Câmara não poderá ser o escolhido.

Os dirigentes social-democratas acusam Carlos Monteiro de «desrespeito» perante «os restantes Membros do Executivo, os dirigentes superiores do município e os funcionários». Garantem mesmo que o actual vice-presidente, Vítor Amaral, «chegou a colocar a sua demissão em cima da mesa numa reunião de coordenação do executivo PSD, por discordar da nomeação para o cargo de diretor da candidatura da Guarda a Capital Europa da Cultura, efetuada pelo Sr. Presidente sem o seu conhecimento».

Todo o documento segue neste tom acusatório, chegando ao ponto de associar unicamente Carlos Monteiro aos processos judiciais que envolvem a autarquia: «Em Junho e Julho de 2019, todos fomos surpreendidos com reportagens televisivas sobre processos de investigação no Município da Guarda, manifestando o nosso receio em que a sua discussão caia diretamente em cima da campanha eleitoral». Num caso em concreto, a concelhia do PSD assegura que «todos os concursos com a Transdev foram agilizados pelo Dr. Carlos Chaves Monteiro», revelando que o antecessor, Álvaro Amaro, tinha «manifestando o seu desagrado pelo facto de o seu bom nome não ter sido salvaguardado aquando do lançamento do concurso público para a  concessão dos transportes públicos urbanos».

Também são referidas «as atitudes de conversas em tons de berros com todos os vereadores», lembrando os signatários que «foram públicas as várias e constantes ameaças» que Carlos Monteiro (a quem se referem como «presidente em exercício») «foi fazendo no sentido de retirar os pelouros ao vereador e vice-presidente, Sérgio Costa».

A concelhia do PSD recorda que a decisão foi consumada há quase um ano e estranha que «apesar de o Dr. Carlos Chaves Monteiro ter retirado os pelouros ao Eng. Sérgio Costa por se ter candidatado à Comissão Política de Secção do PSD, manteve no cargo de Chefe de Gabinete o Sr. Carlos Condesso que se candidatou à Comissão Política Distrital, o que revela bem as intenções por comparação de atitudes e de decisões».

A carta refere ainda que «têm sido públicas as divergências graves provocadas pelo Dr. Carlos Chaves Monteiro para com a Dra. Cidália Valbom». E vai ao ponto de trazer a público questões como esta: «aquando da realização da Fogueira de Natal de 25 de Dezembro de 2019, após a publicação de uma simples fotografia da Dra. Cidália Valbom e dos restantes membros da Mesa da Assembleia Municipal no sítio do facebook do Município da Guarda, o Dr. Carlos Chaves Monteiro deu ordem para que a mesma fosse retirada».

Os membros da comissão política concelhia denunciam ainda que «vive-se dentro do Município um sentimento de desilusão e revolta por parte da maior parte dos seus funcionários». E acusam o presidente da Câmara de «convidar várias pessoas para o lugar de Vereador e para o seu futuro Gabinete, bem como ter andado a fazer convites a elementos contrários a alguns dos atuais presidentes de junta do PSD, para que se pudessem candidatar contra eles».

Presidentes de junta que terão, segundo o documento, razões de queixa como esta: «no passado dia 27 de Novembro, dia em que se comemora o feriado Municipal e o Dia da Cidade, nenhuma das 42 Juntas de Freguesia rurais foram convidadas, nem para o hastear da bandeira ao ar livre, nem para as restantes comemorações ou inaugurações, ou até mesmo para o concerto habitual, apesar da sala do TMG estar cheia com outros convidados, o que demonstra o cada vez maior afastamento do Dr. Carlos Chaves Monteiro em relação às Juntas de Freguesia».

Mas há mais: o PSD da Guarda acusa o presidente da Câmara de tomar posições públicas que são sumariamente vistas como elogios ao governo socialista. Um exemplo: «Apesar de a Comissão Política Distrital e a Comissão Política Concelhia do PSD terem emitido um comunicado sobre o falhanço claro da Cimeira lbérica 2020 realizada há cerca de dois meses na Guarda, no que diz respeito à apresentação de medidas concretas para a Coesão Territorial e a verdadeira Cooperação Transfronteiriça, o Dr. Carlos Chaves Monteiro veio a público contrariar as declarações partidárias enaltecendo e elogiando a Cimeira lbérica como tendo sido muito importante para a Guarda, num claro apoio ao Governo do Partido Socialista». Ou seja: a realização da Cimeira entre António Costa e Pedro Sánchez não devia ter sido elogiada pelo presidente da Câmara da cidade anfitriã, segundo os dirigentes locais do PSD.

Também no que se refere à pandemia de covid-19, Carlos Monteiro é acusado pelos pares social-democratas do concelho de não saber fazer a gestão da mensagem política: «Todos denotamos que a situação pandémica em que o país vive é de uma gravidade imensa. O Dr. Carlos Chaves Monteiro tem vindo a prestar declarações públicas, referindo que a situação está controlada, evidenciando-se o contínuo aumento de dezenas de casos por dia Concelho da Guarda. Não percebemos o motivo desta defesa incessante de quem governa neste momento o país».

São estes alguns dos muitos argumentos que a carta, que tem Sérgio Costa como primeiro subscritor (embora ressalvado que se absteve na votação do próprio nome para candidato do PSD à Câmara), apresenta para concluir que «o tempo mostrou de uma forma muito clara que a gestão atual não sabe governar, não sabe gerir, não sabe dialogar, enfim não está talhado para esta tarefa» e, uma vez que «este caminho só leva a que não tenha condições para liderar um projeto ganhador em 2021», a concelhia social-democrata entende que «tenhamos de encontrar outra solução».

Argumentos que não terão bastado para convencer a comissão política distrital a tomar outra posição que não o apoio à recandidatura do actual presidente da Câmara, Carlos Chaves Monteiro.

Porém, a direcção nacional do partido terá presente, igualmente, a proposta do nome de Sérgio Costa, que lhe foi enviada pela própria concelhia da capital do distrito.

Esta sexta-feira também já foram aprovados os candidatos do PSD às câmaras de dois concelhos: Nuno Soares em Manteigas e João Carvalho em Trancoso.

Definições de Cookies

A Rádio Altitude pode utilizar cookies para memorizar os seus dados de início de sessão, recolher estatísticas para otimizar a funcionalidade do site e para realizar ações de marketing com base nos seus interesses.

Estes cookies são necessários para permitir a funcionalidade principal do site e são ativados automaticamente quando utiliza este site.
Estes cookies permitem-nos analisar a utilização do site, por forma a podermos medir e melhorar o respectivo desempenho.
Permitem-lhe estar em contacto com a sua rede social, partilhar conteúdos, enviar e divulgar comentários.

Cookies Necessários Permitem personalizar as ofertas comerciais que lhe são apresentadas, direcionando-as para os seus interesses. Podem ser cookies próprios ou de terceiros. Alertamos que, mesmo não aceitando estes cookies, irá receber ofertas comerciais, mas sem corresponderem às suas preferências.

Cookies Funcionais Oferecem uma experiência mais personalizada e completa, permitem guardar preferências, mostrar-lhe conteúdos relevantes para o seu gosto e enviar-lhe os alertas que tenha solicitado.

Cookies Publicitários Permitem-lhe estar em contacto com a sua rede social, partilhar conteúdos, enviar e divulgar comentários.