loader

Pavilhão 5 ou 2ª fase das obras do Hospital? Presidente da Câmara quer esclarecimento e espera concretização

  • Home    /    
  • Atualidade    /
  • Pavilhão 5 ou 2ª fase das obras do Hospital? Presidente da Câmara quer esclarecimento e espera concretização

Uma coisa é a segunda fase do projecto de amplicação de requalificação do Hospital da Guarda, iniciado em 2009 e suspenso em 2012, cujo plano funcional foi definido durante o mandato do ministro Correia de Campos (e do conselho de administração presidido por Fernando Girão) e teve Ilídio Pelicano como arquitecto, abrangendo não só a construção do novo edifício inaugurado em 2014 mas também a recuperação dos dois blocos hospitalares até então em funcionamento: o chamado “comboio”, dos anos 50; e o das urgências, da segunda metade da década de 90, conhecido como Pavilhão 5. Outra coisa é apenas a reabilitação deste último imóvel para lá serem concentrados os serviços de Saúde Materno-Infantil. Uma intervenção solicitada em 2016 ao arquitecto João Madalena pelo conselho de administração presidido por Carlos Rodrigues e a que o actual, liderado por Isabel Coelho, deu seguimento. O Ministério da Saúde concedeu autorização para esta obra, apenas [recordar aqui]. E nos últimos quatro anos não se ouviu falar mais no projecto interrompido. Mas este domingo, no comício do Partido Socialista, António Costa deixou a promessa de «descongelar a segunda fase» do Hospital da Guarda [recordar aqui]. Perante a dúvida, o presidente da Câmara quer que se esclareça se foi apenas uma confusão de semântica por parte do primeiro-ministro e secretário-geral do PS ou se a intenção é mesmo retomar o plano original. Se for este o caso, Carlos Chaves Monteiro elogia o compromisso. E diz que espera que seja cumprido, caso os socialistas voltem a formar governo.

Oiça aqui:

Maqueta (de 2008) do novo Hospital Sousa Martins, que incluiria a construção de um bloco (à esquerda) e a remodelação dos existentes (ao centro e à direita), numa área bruta de 77 850 m2 e com um custo total estimado de 80 milhões de euros. Fonte: ARIPA Arquitectos

 

Definições de Cookies

A Rádio Altitude pode utilizar cookies para memorizar os seus dados de início de sessão, recolher estatísticas para otimizar a funcionalidade do site e para realizar ações de marketing com base nos seus interesses.

Estes cookies são necessários para permitir a funcionalidade principal do site e são ativados automaticamente quando utiliza este site.
Estes cookies permitem-nos analisar a utilização do site, por forma a podermos medir e melhorar o respectivo desempenho.
Permitem-lhe estar em contacto com a sua rede social, partilhar conteúdos, enviar e divulgar comentários.

Cookies Necessários Permitem personalizar as ofertas comerciais que lhe são apresentadas, direcionando-as para os seus interesses. Podem ser cookies próprios ou de terceiros. Alertamos que, mesmo não aceitando estes cookies, irá receber ofertas comerciais, mas sem corresponderem às suas preferências.

Cookies Funcionais Oferecem uma experiência mais personalizada e completa, permitem guardar preferências, mostrar-lhe conteúdos relevantes para o seu gosto e enviar-lhe os alertas que tenha solicitado.

Cookies Publicitários Permitem-lhe estar em contacto com a sua rede social, partilhar conteúdos, enviar e divulgar comentários.