Tribunal de Contas chumba fusão das empresas municipais da Guarda

  • Home    /    
  • Atualidade    /
  • Tribunal de Contas chumba fusão das empresas municipais da Guarda

O Tribunal de Contas recusou o visto à fusão das empresas municipais Guarda Cidade Desporto e Cultuguarda, chumbando assim a criação da nova empresa Guarda Dinâmica, que tinha sido aprovada pela Câmara e pela Assembleia Municipal no anterior mandato, em Fevereiro de 2013.

Ao que a Rádio apurou, os fundamentos da recusa terão sido técnicos e jurídicos. No plano técnico o Tribunal de Contas não terá aceite o estudo de viabilidade económica e financeira apresentado pela autarquia, considerando que a nova empresa não se libertaria da quase exclusiva dependência de fundos municipais, em que o subsídio à exploração apenas daria lugar à modalidade de venda de serviços à Câmara. 

Mas a proposta submetida há mais de um ano já teria esbarrado, de qualquer forma, naquilo que o Tribunal de Contas considerou uma violação da lei, desde o começo: a Câmara da Guarda devia ter apresentado estudos que justificassem a escolha de uma de quatro soluções possíveis e não o terá feito.

Segundo a legislação de 2012, que determinava o fim das empresas municipais que dependessem, em mais de 50 por cento, de subsídios à exploração ou que tivessem três anos consecutivos de resultados negativos, as autarquias teriam quatro caminhos possíveis: a extinção; a internalização (as câmaras assumiriam directamente a gestão dos equipamentos e poderiam admitir os funcionários); a integração em serviços municipalizados; e a fusão. No caso da Guarda, o executivo anterior tomou a última opção mas sem ter feito a demonstração prévia comparativa da viabilidade de cada cenário. E terá sido com base nessa única escolha que remeteu a proposta para o Tribunal de Contas. Motivo suficiente, concluiram agora os juízes, para declarar todo o processo nulo, incluindo as deliberações tomadas pela Câmara e pela Assembleia Municipal nos primeiros meses de 2013.

A decisão do Tribunal de Contas já foi confirmada à Rádio pelo presidente da Câmara. Mas Álvaro Amaro – que se encontra em Dublin, na Irlanda, a participar no congresso do Partido Popular Europeu, na qualidade de presidente dos Autarcas Social-Domocratas – recusou comentar o assunto, remetendo uma tomada de posição para a próxima sessão do executivo, marcada para terça-feira, dia 11.

Oiça aqui:

Definições de Cookies

A Rádio Altitude pode utilizar cookies para memorizar os seus dados de início de sessão, recolher estatísticas para otimizar a funcionalidade do site e para realizar ações de marketing com base nos seus interesses.

Estes cookies são necessários para permitir a funcionalidade principal do site e são ativados automaticamente quando utiliza este site.
Estes cookies permitem-nos analisar a utilização do site, por forma a podermos medir e melhorar o respectivo desempenho.
Permitem-lhe estar em contacto com a sua rede social, partilhar conteúdos, enviar e divulgar comentários.

Cookies Necessários Permitem personalizar as ofertas comerciais que lhe são apresentadas, direcionando-as para os seus interesses. Podem ser cookies próprios ou de terceiros. Alertamos que, mesmo não aceitando estes cookies, irá receber ofertas comerciais, mas sem corresponderem às suas preferências.

Cookies Funcionais Oferecem uma experiência mais personalizada e completa, permitem guardar preferências, mostrar-lhe conteúdos relevantes para o seu gosto e enviar-lhe os alertas que tenha solicitado.

Cookies Publicitários Permitem-lhe estar em contacto com a sua rede social, partilhar conteúdos, enviar e divulgar comentários.