loader

Pavilhão 5 do Hospital da Guarda ainda em fase de estudos e projecto. Concurso foi aberto ontem

  • Home    /    
  • Atualidade    /
  • Pavilhão 5 do Hospital da Guarda ainda em fase de estudos e projecto. Concurso foi aberto ontem

Mais de um ano depois de a ministra Marta Temido ter comunicado, em Maio de 2019, que a Unidade Local de Saúde da Guarda tinha autorização para «estabilizar o projecto a executar» com vista à requalificação do Pavilhão 5 do Hospital Sousa Martins [recordar notícia aqui], dando assim abertura para um investimento estimado em 5 milhões de euros, foi ontem aberto o concurso para «Elaboração de Estudos e Projetos para a Requalificação do Edifício 5 do Hospital Sousa Martins para Instalação do Departamento da Criança e da Mulher».

O anúncio publicado esta quinta-feira no “Diário da República” é para uma aquisição de serviços pelo valor base de 146.341,46 euros, com o prazo de execução de 120 dias (quatro meses). Isto pode significar que no final do ano os projectos estarão concluídos.

A ideia de de requalificar aquele pavilhão do Hospital da Guarda para concentrar todas as valências da saúde materno-infantil foi assumida em 2015 pelo anterior conselho de administração da ULS, presidida por Carlos Rodrigues [recordar notícia aqui].

O projecto do novo Hospital da Guarda, da autoria do arquitecto Ilídio Pelicano, contemplava a construção do bloco novo (à esquerda) e a remodelação integral dos edifícios das antigas urgências e do Sanatório (ao centro e à direita). A primeira fase foi iniciada em 2009. A segunda fase chegou a estar consignada, mas foi cancelada em 2012

O ministro da Saúde, Paulo Macedo, tinha em 2012 ordenado o cancelamento da empreitada da segunda fase da ampliação e remodelação do Hospital da Guarda, que contemplaria a requalificação dos blocos de 1997 (o pavilhão 5) e de 1953 (conhecido como “comboio”). Mas após a inauguração do edifício novo, em Junho de 2014, o membro do Governo da coligação PSD/CDS admitia necessidade de pequenas obras [recordar notícias aqui e aqui].

Uma das primeiras foi a construção de uma cozinha e de um refeitório, que funcionava provisoriamente em contentores.

A seguir foi reconstruída cobertura do pavilhão 5. Alguns dos antigos blocos operatórios tinham chegado a encerrar devido à chuva que se infiltrava no interior do edifício.

Em Novembro de 2016 o conselho de administração consignava a elaboração do projecto de remodelação do edifício [recordar notícia aqui], para a função de nova Maternidade a restantes valências relacionadas como a mulher e a criança.

A equipa de Carlos Rodrigues seria substituída em Março de 2017. Pouco depois, a nova administração, presidida por Isabel Coelho, recebia a notícia do chumbo do financiamento do projecto [recordar notícia aqui].

Mas este foi o projecto retomado e não voltou a ouvir-se falar da segunda fase interrompida em 2012.

Em 2018 foi formado um Movimento de Apoio à Saúde Materno Infantil, que passou a reivindicar as obras no  Pavilhão 5 (e levou mesmo uma petição nesse sentido à Assembleia da República, após reunir cerca de 16 mil assinaturas), não se referindo, também, ao projecto global abandonado pelo anterior Governo.

Salvo raras vozes que reclamavam o retomar do programa funcional inicial, como por exemplo Virgílio Bento ou Adelaide Campos [recordar aqui, aqui e aqui], a requalificação do pavilhão 5 passou a ser assumida como a obra de fundo no Hospital da Guarda, mesmo entre as estruturas locais do Partido Socialista (cujo Governo liderado por José Sócrates tinha iniciado em 2009 as obras de ampliação e remodelação integral da unidade, em duas fases).

Na campanha para as eleições legislativas de 2015, o primeiro-ministro, António Costa, voltaria à promessa da segunda fase [recordar notícia aqui]. Perante as dúvidas, o Partido Socialista esclareceria na Assembleia Municipal: o pavilhão 5 será «a primeira fase da segunda fase» [recordar notícia aqui]. Que entra agora em concurso para estudos e projecto.

Definições de Cookies

A Rádio Altitude pode utilizar cookies para memorizar os seus dados de início de sessão, recolher estatísticas para otimizar a funcionalidade do site e para realizar ações de marketing com base nos seus interesses.

Estes cookies são necessários para permitir a funcionalidade principal do site e são ativados automaticamente quando utiliza este site.
Estes cookies permitem-nos analisar a utilização do site, por forma a podermos medir e melhorar o respectivo desempenho.
Permitem-lhe estar em contacto com a sua rede social, partilhar conteúdos, enviar e divulgar comentários.

Cookies Necessários Permitem personalizar as ofertas comerciais que lhe são apresentadas, direcionando-as para os seus interesses. Podem ser cookies próprios ou de terceiros. Alertamos que, mesmo não aceitando estes cookies, irá receber ofertas comerciais, mas sem corresponderem às suas preferências.

Cookies Funcionais Oferecem uma experiência mais personalizada e completa, permitem guardar preferências, mostrar-lhe conteúdos relevantes para o seu gosto e enviar-lhe os alertas que tenha solicitado.

Cookies Publicitários Permitem-lhe estar em contacto com a sua rede social, partilhar conteúdos, enviar e divulgar comentários.