Joaquim Carreira: Simpósio de Arte «só faria sentido com os problemas do centro histórico resolvidos»

  • Home    /    
  • Atualidade    /
  • Joaquim Carreira: Simpósio de Arte «só faria sentido com os problemas do centro histórico resolvidos»

Depois de ter criticado duramente, na última sessão de Câmara, o investimento na requalificação de duas rotundas [ver notícia anterior aqui] Joaquim Carreira (arquitecto e vereador do PS) ligou esta manhã para o Fórum Altitude [ver aqui], para participar no debate e deixar algumas reflexões. E pelo discurso entende-se que a oposição na câmara da Guarda vai abrir uma nova frente de batalha com a maioria. O recente anúncio do Simpósio Internacional de Arte Contemporânea não agradou ao vereador. Joaquim Carreira questionou as prioridades  e considerou que esta iniciativa só faria sentido se os problemas do centro histórico estivessem resolvidos. «Isto é patético», afirma, referindo-se ao facto de se anunciar que haverá, por exemplo, artistas convidados para esculpir ao vivo na Praça Velha, «num espaço que tem uma tela a tapar telhados degradados». O arquitecto defende que mais valeria ter um programa «menos elitista» mas que envolvesse «outras artes do trabalhar da pedra, como a cantaria» para concretizar «obras úteis de reparação de calçadas e recuperação de fachadas». Mas mesmo em relação ao modelo seguido pelo Simpósio, Joaquim Carreira questiona: «Onde é que ficam os artistas locais? Por que não podem também esculpir e pintar para o espaço público e receber por essa prestação de serviço para a animação da cidade?». Perguntas que espera ver respondidas na próxima sessão de Câmara, onde quer também ser esclarecido acerca dos reais custos da iniciativa: «Como vereador desconheço [os valores] porque a proposta do Simpósio ainda não foi à reunião do executivo». Retomando as críticas que fez na anterior reunião sobre os custos para a requalificação de duas rotundas na Avenida 25 de Abril, Carreira aponta o que diz ser outra contradição: se os escutores convidados para o Simpósio «vão produzir estátuas», não percebe que a Câmara tenha encomendado «uma estátua de 92 mil euros» para a rotunda do Rio Diz. Em suma, o vereador da oposição garante que «eu não teria nada a opor [à realização do Simpósio Internacional de Arte Contemporânea] se esta cidade não tivesse o desemprego que tem e a falta de condições para fixar pessoas e criar riqueza». E ironiza: «Só falta pedir aos desempregados que vão para a Praça Velha ver esculpir pedra. É isso que querem? É isso de que a cidade precisa?». 

Oiça aqui:

Definições de Cookies

A Rádio Altitude pode utilizar cookies para memorizar os seus dados de início de sessão, recolher estatísticas para otimizar a funcionalidade do site e para realizar ações de marketing com base nos seus interesses.

Estes cookies são necessários para permitir a funcionalidade principal do site e são ativados automaticamente quando utiliza este site.
Estes cookies permitem-nos analisar a utilização do site, por forma a podermos medir e melhorar o respectivo desempenho.
Permitem-lhe estar em contacto com a sua rede social, partilhar conteúdos, enviar e divulgar comentários.

Cookies Necessários Permitem personalizar as ofertas comerciais que lhe são apresentadas, direcionando-as para os seus interesses. Podem ser cookies próprios ou de terceiros. Alertamos que, mesmo não aceitando estes cookies, irá receber ofertas comerciais, mas sem corresponderem às suas preferências.

Cookies Funcionais Oferecem uma experiência mais personalizada e completa, permitem guardar preferências, mostrar-lhe conteúdos relevantes para o seu gosto e enviar-lhe os alertas que tenha solicitado.

Cookies Publicitários Permitem-lhe estar em contacto com a sua rede social, partilhar conteúdos, enviar e divulgar comentários.