Isabel Coelho: primeiro as pessoas, a seguir a estratégia e só depois as obras

  • Home    /    
  • Atualidade    /
  • Isabel Coelho: primeiro as pessoas, a seguir a estratégia e só depois as obras

Não é por ter entrado em funções um novo conselho de administração na Unidade Local de Saúde que as obras da segunda fase do Hospital da Guarda vão avançar no imediato. A presidente, Isabel Coelho, foi hoje a convidada do espaço de grande entrevista da Rádio e deixou claro que o programa funcional abandonado por administrações anteriores «está ultrapassado» e que é necessária uma «definição estratégica» da política de saúde, que não compete à ULS mas aos decisores políticos. Só depois se decidirá o que fazer em matéria de instalações. Para já, o plano de requalificação do antigo edifício das urgências deverá prosseguir, até porque deverá obter o financiamento comunitário do programa operacional para a Região Centro. Mas o foco prioritário da acção da médica está nas pessoas: duas semanas depois de ter entrado em funções, Isabel Coelho ainda está a percorrer uma instituição que ocupa os 14 concelhos do distrito. Quer afastar todos os cenários de lutas internas e guerrilha política. E embora reconheça que esse ambiente faz parte do historial da organização, diz-se empenhada em combatê-lo através do diálogo. Uma Unidade Local de Saúde voltada para o utente – é o desígnio do novo conselho de administração, sem perder de vista a necessária articulação com outras unidades da região. Há cada vez menos pessoas e alguma coisa tem de ser feita a uma escala de parceria, sob pena de o próprio sistema público de Saúde ficar em risco, alerta. E em semana de aniversário (faz esta quinta-feira 110 anos que o Sanatório Sousa Martins foi inaugurado pelos reis D. Carlos e D. Amélia) o maior presente que a médica gostava de receber era o respeito da Guarda pelas próprias estruturas que prestam cuidados médicos. Reconhece que não gosta de ver os velhos pavilhões e outros lugares históricos do Parque da Saúde ao abandono mas esclarece que a ULS não tem recursos para os recuperar. Esse é um investimento que tem de partir de outras fontes e de outros poderes, locais ou nacionais. As pessoas são a prioridade, sublinha.

Oiça aqui:

Definições de Cookies

A Rádio Altitude pode utilizar cookies para memorizar os seus dados de início de sessão, recolher estatísticas para otimizar a funcionalidade do site e para realizar ações de marketing com base nos seus interesses.

Estes cookies são necessários para permitir a funcionalidade principal do site e são ativados automaticamente quando utiliza este site.
Estes cookies permitem-nos analisar a utilização do site, por forma a podermos medir e melhorar o respectivo desempenho.
Permitem-lhe estar em contacto com a sua rede social, partilhar conteúdos, enviar e divulgar comentários.

Cookies Necessários Permitem personalizar as ofertas comerciais que lhe são apresentadas, direcionando-as para os seus interesses. Podem ser cookies próprios ou de terceiros. Alertamos que, mesmo não aceitando estes cookies, irá receber ofertas comerciais, mas sem corresponderem às suas preferências.

Cookies Funcionais Oferecem uma experiência mais personalizada e completa, permitem guardar preferências, mostrar-lhe conteúdos relevantes para o seu gosto e enviar-lhe os alertas que tenha solicitado.

Cookies Publicitários Permitem-lhe estar em contacto com a sua rede social, partilhar conteúdos, enviar e divulgar comentários.