Actualidade

Os incentivos a onze projectos de investimento, concedidos no último ano pela Câmara da Guarda, representam uma «perda de receita» de cerca de 90 mil euros em taxas e impostos para os cofres do município, revelou o presidente, Álvaro Amaro. Mas o autarca preferia «que fossem 900 mil». Para já, os planos apoiados vão traduzir-se «em cerca de 50 milhões de euros de investimento» por parte das empresas e «em cerca de 200 postos de trabalho», com a preponderância da nova unidade da COFICAB na Plataforma Logística. Estes dados foram tornados públicos durante a apresentação do projecto do novo regulamento municipal de apoio ao investimento.

Oiça aqui:

O primeiro mercado mensal no centro da cidade teve reacções favoráveis e desfavoráveis. Para os feirantes não correu mal. Para os que feiraram veio em boa altura. Mas os comerciantes que trabalham na zona todo o ano têm dúvidas. Diferentes opiniões numa manhã em que também fez sol e choveu.

Oiça aqui:

O bispo da Guarda lança um alerta acerca das condições em que estudantes dos países africanos vivem na cidade. Alguns estão em situação «infra-humana», declara D. Manuel Felício, que destaca o apoio que lhes tem sido prestado pela Caritas Diocesana. O prelado considera que desta forma não vale a pena atrair estudantes dos PALOP para o Politécnico e faz um apelo para que várias entidades se envolvam numa solução.

Oiça aqui:

A ministra da Saúde assume que a Unidade Local de Saúde da Guarda precisará de reforços financeiros, face às verbas de estão inscritas no Orçamento de Estado para 2019. Ouvida na Comissão de Saúde da Assembleia da República, Marta Temido reconheceu que há instituições que «não têm a dotação que será necessário», sendo uma delas a ULS da Guarda, com a qual se compromete a trabalhar «ao nível de planos estratégicos e contratos anuais». Quanto à carência de médicos em várias especialidades, a ministra considerou que o Hospital da Guarda «é vítima da interioridade». Foram as respostas às questões colocadas pela deputada Ângela Guerra, do PSD.

Oiça aqui:

O desenho está feito, à volta do Jardim José de Lemos e do edifício da Câmara Municipal, e a lista de inscritos há muito que está completa. A primeira feira mensal  no centro da cidade realiza-se este domingo. O presidente da autarquia acredita que a zona vai ter grande movimento e revela que a procura de espaço superou a oferta, tendo vários vendedores ficado de fora.

Oiça aqui:

O responsável pela secção regional de Castelo Branco da Ordem dos Médicos considera que a ideia sugerida pelo Presidente da Câmara da Guarda, decriação de um centro hospitalar Guarda-Covilhã, iria acentuar ainda mais as desigualdades existentes na região. Ernesto Rocha (que é director do serviço de Nefrologia do Hospital de Castelo Branco) crescenta que não fará sentido deixar de fora a Unidade Local de Saúde de Castelo Branco e aponta mesmo como exemplo o serviço que dirige (a Unidade de Nefrologia), que presta apoio a todos os doentes da Beira Interior.

Oiça aqui:

Desde a meia-noite de domingo que os Bombeiros da Guarda não estão a reportar ocorrências à Autoridade Nacional de Protecção Civil, na sequência do que foi decidido pela Liga de Bombeiros. A posição foi confirmada à Rádio pelo comandante Paulo Sequeira. Mas as populações, garante, podem continuar tranquilas. E em caso extremo haverá tréguas neste diferendo com o Governo. Em causa está a reforma da Protecção Civil. Os corpos de bombeiros exigem comando e direcção nacional autónomos e querem também uma revisão de carreiras e regalias.

Oiça aqui: