Actualidade

"Antiga Pousada da Juventude da Guarda": assim é identificado o imóvel que desde hoje está integrado no Fundo Nacional de Reabilitação do Edificado. De acordo com a publicação em Diário da República, o «plano de intervenção para a requalificação e construção de residências de estudantes» tem por objetivo «a promoção de iniciativas das instituições de ensino superior, das autarquias locais e de outras entidades com vista à criação de alojamento para estudantes das instituições de ensino superior públicas de todo o território nacional». A concretização deste programa terá um «um horizonte temporal de 10 anos», com intervenção faseada.

Já foi escolhida a localização do Centro de Exposições Transfronteiriço da Guarda. Entre as possibilidades apreciadas acabou seleccionada a antiga fábrica têxtil no Rio Diz. Trata-se de um espaço expropriado pela Câmara no início do século, no âmbito do então Programa Polis. O plano previa uma segunda fase do Parque Urbano, que se estenderia até à encosta da feira. A aquisição e encerramento unidade industrial foi essencial para travar o foco de poluição do Rio Diz e a autarquia chegou a projectar para lá a criação do Arquivo Municipal, vocacionado para a consulta e investigação histórica. Mas o imóvel acabou por não ter qualquer uso. Agora é a opção para a construção de uma infrestrutura vocacionada para eventos, congressos e actividades desportivas, numa área total de 10 mil metros quadrados. A Câmara divulgou a decisão na mesma reunião do executivo municipal onde aprovou a adjudicação da primeira fase dos Passadiços do Mondego, cuja construção deverá ter início no corrente ano.

Oiça aqui:

Terminou a informalidade no relacionamento entre o Instituto Politécnico e a Câmara da Guarda. Depois da entrevista à Rádio do secretário de Estado da Juventude, na qual João Paulo Rebelo confirmou que a Pousada da Juventude estará mesmo para ser transformada em alojamento de estudantes [ver notícia aqui], e da reação do presidente da Câmara, Álvaro Amaro [ver notícia aqui], o IPG contratou em Lisboa uma agência de comunicação para tornar público que o presidente da instituição de ensino superior ia pedir uma audiência ao presidente da autarquia da cidade onde está sediada. Entrou-se, deste modo, numa era de formalidade no relacionamento entre as duas entidades. O pedido de audiência por parte de Joaquim Brigas já foi aceite e o encontro acontecerá na próxima sexta-feira. Álvaro Amaro anunciou a data na reunião de Câmara, ao mesmo tempo que tornou público o que vai propôr para ajudar a resolver a carência de alojamento: o subsídio que 30 mil euros anuais que instituiu para o IPG passará a ser investido directamente no arrendamento de casas para estudantes.

Oiça aqui:

«Uma vergonha», diz o convidado da edição desta semana do programa “O Mundo Aqui”, a propósito das recentes declarações do secretário de Estado da Energia na Guarda [ver notícia aqui]. José Valbom mostra-se indignado e sugere a João Galamba «que pense bem naquilo que disse» e «não venha provocar-nos».

Oiça aqui:

É mais uma voz contra a transformação da Pousada da Juventude da Guarda em residência para estudantes.Vladimiro Vale, coordenador regional do PCP, recusa a ideia do “dois em um”, para já apenas confirmada pelo secretário de Estado da Juventude e do Desporto em entrevista à Rádio. Uma função não pode substituir a outra e o Governo deve garantir os dois investimentos de forma distinta, defende o dirigente comunista.

Oiça aqui:

Em números, a Plataforma Logística da Guarda está irreconhecível, afirma o presidente da Câmara. Álvaro Amaro faz o balanço de cinco anos e garante que 80 por cento do espaço está preenchido ou em fase de investimento. Ao todo, há 70 empresas já instaladas ou em fase de transação de lotes.

Oiça aqui:

Quatro homens, presumivelmente de nacionalidade de um país latino-americano, tentaram hoje assaltar a agência da Caixa Geral de Depósitos na Rua Marquês de Pombal, no centro da Guarda. Pouco depois das 9 horas da manhã, os quatro suspeitos, que testemunhas caracterizam como tendo «boa apresentação», ter-se-ão dirigido à zona de antendimento a empresas, fazendo-se passar por clientes desse segmento. Um dos suspeitos terá solicitado ajuda para realizar um levantamento, numa aparente manobra de distracção aproveitada pelos restantes para tentarem apropriar-se de uma pasta com valores. O rápido alarme levou à intervenção da PSP, que deteve um dos suspeitos já em tentativa de fuga e os restantes ainda no interior das instalações. A polícia está neste momento a realizar peritagens e os detidos encontram-se em interrogatório, devendo ser presentes a tribunal nas próximas horas. A agência da Caixa Geral de Depósitos já se encontra a funcionar normalmente.