Actualidade

O bispo da Guarda considera que situações como a que envolveu um padre do Fundão, condenado em primeira instância por crimes de abuso sexual sobre menores, também acontecem «noutros ambientes que estão menos debaixo dos holofotes e da atenção da comunicação social e da opinião pública». D. Manuel Felício referiu-se ao caso, à margem da gravação da tradional mensagem de Natal, reconhecendo que tais crimes, quando alegadamente são cometidos no seio da Igreja, têm uma atenção redobrada, que interpreta como «uma forma de as pessoas nos pedirem ajuda, tranquilidade e segurança». Defende, por isso, que a instituição deve dar o exemplo e diz respeitar incondicionalmente a sentença, quer dois tribunais civis, quer dos eclesiásticos, «qualquer que ela seja», recordando que a diocese «desde a primeira hora» colaborou com as autoridades nas investigações que levaram ao julgamento do antigo vice-reitor do Seminário do Fundão.

Oiça aqui a reportagem:

Na semana em que dedicamos especial atenção informativa ao papel do professor na sociedade (é o tema do Fórum Altitude desta Quarta-feira, dia 18, a partir das 11 horas), cruzam-se dois docentes que foram chamados à política activa. Amílcar Salvador fez uma pausa no ensino depois de eleito, em Setembro, presidente da Câmara Municipal de Trancoso. Virgílio Bento regressou às actividades lectivas, após oito anos como vice-presidente da Câmara Municipal da Guarda. Coincidem num diagnóstico: o pior dos problemas da escola pública actual é a indisciplina.

Oiça as reportagens aqui:

Proprietários de terrenos no perímetro do Parque Natural da Serra da Estrela estão a ser multados por fazerem corte de árvores ou limpeza de mato alegadamente sem autorização. Mesmo em terrenos próprios, aquele tipo de intervenção carece de licença dos serviços do PNSE. Uma recente acção de fiscalização causou revolta em Famalicão da Serra, no concelho da Guarda, onde os donos das propriedades acusam as autoridades de excesso de zelo na aplicação de legislação de 2009.

Oiça aqui a reportagem:

A arquitecta e professora da ESTG, Maria João Gomes, defendeu numa conferência no Instituto Politécnico o regresso à matriz da chamada "casa da Guarda", contra a prática que nas últimas décadas tornou indiferenciada a arquitectura das regiões. Intervindo no encontro sobre a Estratégia Nacional para a Habitação, prmovida pelo IPG, a docente reconheceu que a burocracia é o maior entrave à requalificação do património construído, dando como exemplo os centros históricos das cidades, e fez um apelo aos decisores políticos no sentido de adaptarem as regras à realidade. O mesmo desafio foi lançado aos arquitectos, a quem cabe conceber novas fórmulas de regeneração dos núcleos urbanos mais antigos. Maria João Gomes defende a arquitectura bioclimática, pela relação com os materiais e com a geografia de cada região.

Oiça a reportagem aqui:

A partir de 2014 os visitantes pagarão para entrar nos castelos de Linhares da Beira e de Celorico da Beira. A decisão faz parte do estudo de viabilidade económica e financeira da Empresa Municipal de Celorico da Beira, submetida pelo município ao Tribunal de Contas. Através da cobrança de entradas, a autarquia de Celorico estima receber anualmente cerca de 60 mil euros e, com isso, cumprir a obrigação legal de garantir pelo menos cinquenta por cento de receitas próprias na estrutura de proveitos da empresa. Outra medida passará pela reabertura das piscinas da vila, encerradas há dois anos devido a avarias no equipamento.

Oiça a reportagem aqui:

Depois de, a 21 de Dezembro do ano passado, ter faltado à escolha do candidato socialista à Câmara da Guarda (nas eleições directas que marcaram a estreia dos novos estatutos do partido), o secretário-geral do PS, António José Seguro, também não compareceu na passada sexta-feira à votação para os órgãos da concelhia.

Seguro é militante inscrito na Guarda desde que foi cabeça-de-lista às legislativas de 1995, tendo chegado a presidir à federação distrital do partido durante um mandato. 

O secretário-geral era um dos 129 militantes com capacidade eleitoral (quotas pagas até trinta dias antes do sufrágio) mas contou-se entre os 50 que não compareceram. João Pedro Borges, candidato em lista única, recolheu 66 votos, tendo havido 5 brancos e 8 nulos.

O novo presidente da concelhia desvalorizou a ausência de Seguro, a quem reconheceu um nível de responsabilidade «acima de um mero acto eleitoral na concelhia da Guarda».

Oiça aqui a notícia completa:

O presidente da Liga de Amigos da Unidade Local de Saúde da Guarda, Santinho Pacheco, considera que «a população não compreende» que o novo pavilhão do Hospital da Guarda, concluído há um ano, permaneça encerrado. O antigo governador civil diz que a Liga quer ser um parceiro na defesa dos serviços de saúde no distrito e dos seus utentes e reclama, para isso, um espaço próprio no Parque da Saúde (sugere a desactivada estação de correios), comprometendo-se a ter um papel activo, por exemplo, na preservação da mata centenária.