O presidente do Instituto Politécnico da Guarda não concorda com a proposta do governo para a criação, neste nível de ensino, de cursos de dois anos que darão um título de técnico superior profissional. Constantino Rei considera que se trata de uma menorização do ensino politécnico e diz mesmo que "para pior já basta assim".

Oiça aqui: