Pedro Tavares, presidente do NERGA, não gosta de ser classificado como habitante de um «território de baixa densidade» (mesmo de «elevado potencial») e afirma-se «orgulhosamente» do Interior. Álvaro Amaro gosta muito mais da moderna designação. «Ou então alguém vai ter que me explicar como é que uma cidade que é equidistante entre Madrid e Lisboa está no Interior», desafiou o presidente da Câmara. Para o autarca, é tudo uma questão de horizontes: só se revê no Interior quem se ache situado «no interior do rectângulo, do "jardim à beira-mar plantado"». Uma divergência de conceitos nos discursos do jantar que assinalou os 30 anos do Núcleo Empresarial da Região da Guarda. Há um aspecto em que todos estão de acordo: a festa é para os empresários que resistiram à erosão dos últimos anos, mesmo para aqueles que chegaram até aqui sem dinheiro, saúdou José Eduardo Carvalho, presidente da Associação Industrial Portuguesa.

Oiça aqui: