A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, que tem a tutela da Secretaria de Estado da Acção Social, diz em entrevista à Rádio que esta nova estrutura do Governo, a funcionar na Guarda, «é determinante e faz a diferença» porque permite tomar decisões «a pensar nas realidades concretas do país». O trabalho da secretária de Estado Rita Mendes no Interior tem sido mesmo «uma inspiração» na definição de políticas, sendo também responsável pelo desenho de grande parte das novas medidas que representam um incremento de 1.100 milhões no Orçamento de Estado para políticas sociais. Ana Mendes Godinho refere várias, que vão desde o incentivo à natalidade e o reconhecimento de direitos de parentalidade ao reforço do complemento para a terceira idade, passando pelo alargamento da rede de respostas sociais e por uma estratégia de apoio à criação de emprego na área social. A ministra do Trabalho destaca também inéditas medidas de incentivo ao contacto com a vida activa, como a isenção de IRS (até ao valor de cinco indexantes de apoio social, cerca de 2.200 euros) no rendimento auferido por jovens estudantes em trabalhos de Verão ou em paralelo com a frequência do ensino. Medidas concretas também desenhadas a partir da Guarda, na secretaria de Estado da Acção Social, com os olhos postos na realidade do Interior.

Oiça aqui: