Há quatro municípios do distrito da Guarda que devolvem a totalidade do IRS aos contribuintes que ali residem. Manteigas, Sabugal, Figueira de Castelo Rodrigo e Aguiar da Beira abdicam de toda a participação variável na colecta do imposto (que pode ir até 5%). Quer isto dizer que em cada mil euros há 50 euros que o cidadão deixa de pagar. Quem viva no concelho da Guarda fica sem todo esse valor. A Câmara da capital do distrito não abdica da taxa máxima do imposto (tal como Pinhel, Seia, Foz-Côa, Mêda e Fornos de Algodres). Outros municípios têm reduções (dois e meio por cento em Trancoso, dois por cento em Almeida e Gouveia e um por cento em Celorico da Beira). É uma decisão política onde cada autarquia procura fazer o equilíbrio entre a perda de receita e os benefícios de um IRS mais barato. Em Manteigas, o presidente da Câmara (o socialista Esmeraldo Carvalhinho) considera que a menor cobrança é compensada pela maior atração de pessoas. E os reflexos desta política estão à vista: Manteigas avança para uma situação de pleno emprego, revela autarca. Outro concelho onde o IRS é devolvido na totalidade é o do Sabugal. Mas a medida não é nova e resistiu mesmo à Troika, lembra o presidente da câmara (o social-democrata António Robalo). E esta é apenas uma das iniciativas de apoio fiscal para garantir uma discriminação positiva às famílias de um concelho ameaçado pelo despovoamento.

Oiça aqui: