Álvaro Amaro, do PSD, foi um dos dois eurodeputados portugueses (o outro foi Nuno Melo, do CDS) a votar contra uma resolução que recomendava aos estados-membros da União Europeia o reforço das operações de busca e salvamento de migrantes no Mar Mediterrâneo. Explicariam depois o sentido de voto com o facto de o projecto não incluir posições do Partido Popular Europeu (a que ambos pertencem), notando que também as bancadas à esquerda tinham rejeitado uma proposta daquele grupo. Mas tal não evitou a polémica, que já chegou ao debate político da região. O assunto foi abordado na última reunião da Câmara do Fundão pelo vereador do PS, Sérgio Mendes, que lamentou a posição de Álvaro Amaro no Parlamento Europeu. O eleito socialista disse o sentido de voto envergonha todos os beirões, e reocordou que Amaro foi candidato com o apoio das estruturas regionais do PSD. O presidente da Câmara do Fundão, o social-democrata Paulo Fernandes, considerou «precipitada e inadmissível» a intervenção do vereador, até tendo em conta que a questão dos migrantes «é sensível», mas a troca de argumentos prosseguiu. Na Guarda também já houve uma reacção da federação da Juventude Socialista, liderada por Fábio Pinto. A comissão politica distrital da JS aprovou um voto de repúdio contra a posição de Álvaro Amaro no Parlamento Europeu.

Oiça aqui: