Fácil foi o Partido Socialista ganhar estas eleições legislativas, mas difícil foi o “caminho das pedras” há dois anos, nas autárquicas, quando todas as figuras, todos os dirigentes, todas as facções e todas as famílias do PS fugiram ao confronto com a recandidatura de Álvaro Amaro à Câmara da Guarda. A lembrança é feita pelo vereador na oposição, e cabeça de lista em 2017, Eduardo Brito, para reclamar méritos também pelo resultado eleitoral do passado dia 6 no concelho da Guarda. Para o PS ter regressado às vitórias foi preciso alguém ter «estancado a queda». E esse alguém foi Eduardo Brito, que declara não querer agora atrapalhar eventuais estratégias de quem pretenda aproveitar o caminho com vista a uma solução para 2021. Mas os louros também têm de lhe ser reconhecidos, revindica. Até porque agora o tempo «já corre a favor» do Partido Socialista. Mas em 2017 «subi aquela avenida várias vezes acompanhado de meia dúzia de pessoas».

Oiça aqui: