O PSD apresentou  este sábado, publicamente (depois de o ter feito à comunicação social há três semanas), os candidatos pelo círculo da Guarda às eleições legislativas de 6 de Outubro e a estrutura de campanha. Uma sessão marcada também pela primeira aparição de Álvaro Amaro em acontecimentos locais do partido, desde que foi eleito deputado ao Parlamento Europeu e renunciou às funções de presidente da Câmara. O ex-autarca, que não interveio nem quis prestar declarações, acabou, porém, por ser a "estrela" da sessão no Café Concerto do Teatro Municipal da Guarda, recebendo cumprimentos e fortes aplausos. E o cabeça de lista e presidente da comissão política distrital do PSD, Carlos Peixoto, dedicou-lhe uma parte do discurso, elogiando o trabalho que deixou no concelho enquanto presidente da Câmara. Quanto aos processos judiciais em que o agora deputado europeu está envolvido, o líder social-democrata no distrito garantiu que Álvaro Amaro é inocente - uma presunção que não decorre apenas da lei até julgamento mas, sobretudo, do conhecimento pessoal e da relação de longa data que Carlos Peixoto tem com o visado. Porém, o dirigente do PSD não alargou a garantia, pelo menos nesta intervenção pública, a outros eleitos pelo partido que integram o executivo municipal até há poucos meses presidido por Álvaro Amaro e que também se encontram a contas com a justiça pelo exercício de funções. O deputado e de novo cabeça de lista às legislativas citicou as políticas do actual Governo e acusou a adversária mais directa (Ana Mendes Godinho, cabeça de lista pelo PS) de usar o cargo de secretária de Estado do Turismo para fazer acções de pré-campanha eleitoral. A Rui Rio, líder do PSD, reservou elogios e a salvaguarda de que, apesar das sondagens, as contas eleitorais apenas serão feitas a 6 de Outubro. Carlos Peixoto apresentou ainda algumas linhas do programa eleitoral, documento que, prometeu, será enviado por via postal a todos os eleitores do distrito. Coube ao presidente da concelhia do PSD da Guarda (e candidato em lugar suplente), Tiago Gonçalves, sublinhar as várias razões que justificarem um voto no PSD na Guarda e na região.

Oiça aqui: