O aniversário foi no dia 5 mas só este fim-de-semana os Bombeiros da Guarda fazem a festa dos 143 anos. Em entrevista à Rádio, o presidente da associação humanitária fala do presente e perspectiva os próximos tempos, num quadro de algumas dificuldades. E seria tudo mais fácil na gestão quotidiana se, por exemplo, o Ministério da Saúde tivesse em dia o pagamento pelo transporte de doentes. Carlos Gonçalves diz que nesta altura a dívida já anda pelos 150 mil euros. E insiste, por isso, na necessidade de alterar a lei do financiamento das associações humanitárias. A nível operacional, o presidente da direcção do Bombeiros da Guarda reitera também o pedido de uma segunda equipa de intervenção permanente.

Oiça aqui: