Eduardo Brito espera que a direcção nacional do PS dê mesmo um sinal de que tem o concelho e a cidade da Guarda nas preocupações políticas prioritárias. O vereador na Câmara exige que a capital do distrito esteja representada em lugar elegível (do primeiro ao terceiro) na lista de candidatos a deputados que hoje deverá ser aprovada. Se o partido o não o fizer, estará a cometer um erro, avisa. Isto porque não está em jogo, apenas, o resultado das eleições legislativas mas também – e sobretudo – a mobilização para as autárquicas, num concelho os socialistas devem lutar pela reconquista do município. As condições políticas para um bom resto de mandato do PS na Guarda e para o início do caminho até à possível vitória nas autárquicas dependem das decisões do partido em relação à lista para o próximo mês de Outubro, alerta, com algum dramatismo, o líder da bancada do PS na Câmara, chegando a sugerir que fará depender disso o próprio futuro político até 2021, isto depois de a vereação socialista já ter sofrido uma baixa, com a renúncia de Pedro Fonseca.

Oiça aqui: