Pedro Fonseca já não é presidente da Federação do Partido Socialista da Guarda e na próxima segunda feira vai renunciar ao lugar de vereador na Câmara. Esta quarta-feira, em conferência de imprensa, disse que tinha acabado de enviar ao secretário-geral do partido, António Costa, a carta de demissão de presidente federativo ao mesmo tempo que informara o presidente da concelhia do PS, Agostinho Gonçalves, sobre a decisão relativamente ao executivo municipal. Tudo isto na sequência da reprovação da lista de candidatos a deputados  na reunião da comissão politica distrital [ver notícias anteriores aqui e aqui]. Em resposta às várias perguntas da Rádio, o agora declaradamente apenas militante de base do PS garantiu que «não sei o que falhou» e «não conheço as motivações» de quem votou contra a proposta que apresentou. Mas não lhe resta outro caminho senão «assumir todas as responsabilidades». À frente da federação, e até que a direcção nacional dê novas indicações, vai ficar o vice-presidente, José Luís Cabral. E para a vereação da Câmara será chmada a terceira da lista, Ana Cristina Correia, que fiz ser um elemento com preparação para prosseguir o trabalho de oposição ao PSD. No mais, Pedro Fonseca afirma que hoje teria conduzido o processo de escolha dos candidatos às eleições legislativas de 6 de Oututro «da mesma forma», garantindo que não houve falta de diálogo interno.

Oiça aqui: