Os vereadores do Partido Socialista continuam a pedir eleições intercalares para a Câmara Municipal da Guarda após a saída de Álvaro Amaro para o Parlamento Europeu. Apesar das críticas à intervenção inicial [ver notícia aqui] e da demarcação por parte da comissão política concelhia [ver notícia aqui], os membros da oposição no executivo reiteram que este é o único caminho para a clarificação da legitimidade. Quem defende o contrário, mesmo no PS, tem «uma visão distorcida» da política e representa uma minoria, afirma Eduardo Brito.

Oiça aqui:

;