O vice-presidente do CDS, Adolfo Mesquita Nunes, acusa o Ministério da Saúde de «irresponsabilidade» na implementação do horário semanal de 35 horas, por não ter previsto os impactos no funcionamento das unidades de saúde. Em conferência de imprensa, acompanhado pelos presidentes das distritais do partido da Guarda e de Castelo Branco, o dirigente nacional, que é também vereador na Câmara da Covilhã, disse que os hospitais da região estão «à beira do colapso».

Oiça aqui: