O candidato à presidência da comissão política concelhia da Guarda do PSD, Tiago Gonçalves, considera que este não é «o momento para as falsas uniões nem para os consensos de conveniência». Por isso avançou para as eleições do próximo sábado, porque entende que «este é o momento de clarificar, pondo em confronto duas ideias e dois projectos absolutamente diferentes». O líder da bancada do PSD na Assembleia Municipal foi o único candidato a aceitar o convite da Rádio para um debate na edição desta semana do Fórum Altitude. O adversário, Júlio Santos, declinou porque entende que se trata de «assuntos do foro interno do partido». Assim, o programa transformou-se numa entrevista sem contraditório, durante cerca de uma hora, na qual Tiago Gonçalves alertou os militantes para a possibilidade de a confiança no PSD poder «ser perdida». O partido «tem de perceber com a história que qualquer erro, a falta de trabalho ou a falta de de empenho e o não demonstrar junto das populações que está permanentemente preocupado com a melhoria das suas condições de vida e com as ambições da cidade para o futuro» pode trazer «consequência graves», acusando a outra candidatura de apenas pretender um ajuste de contas com os acontecimentos e os protagonistas de 2013. «É uma visão que parou no tempo», conclui.

Oiça aqui: