Acerca do passado só um dos candidatos falou mais, no debate de ontem. Alexandre Lote disse que o partido deve ter orgulho do que está para trás. Sublinhou-o, por exemplo, quando declarou o apoio à candidatura da Guarda a capital Europeia da Cultura. Só é possível porque os executivos do PS na Câmara deixaram trabalho feito, afirmou, acusando o actual presidente da autarquia, o social-democrata Álvaro Amaro, de «subvalorizar» o legado que recebeu. Sobre a candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura, também José Luís Cabral defendeu que deve ser uma causa do distrito e de todas as forças políticas. E Pedro Fonseca acabou por concordar.

[Ver outras notícias sobre o debate aqui, aqui, aqui e aqui]

Oiça aqui: