Não coincidem as versões das estruturas do Partido Socialista sobre o caso em que está envolvido o candidato à Câmara da Guarda, Eduardo Brito, e que vai levá-lo a julgamento por um crime de prevaricação, devido a actos alegamente cometidos quando era presidente da Câmara de Seia. O presidente da comissão política concelhia, João Pedro Borges, revela que que o PS estava a par de tudo e há muito tempo. Mas o presidente da federação distrital, António Saraiva, garante que não sabia de nada e que só teve conhecimento do caso através da notícia [aqui] da Rádio.

Oiça aqui: