O Instituto Politécnico da Guarda é, entre as quatro instituições do género no Interior (Bragança, Guarda, Castelo Branco e Portalegre), a que conseguiu a maior taxa de colocação de alunos na primeira fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior, cujos resultados foram conhecidos este fim-de-semana.

O IPG preencheu 384 das 680 vagas disponíveis, o que representa 56,47 por cento do total.

Em comparação com outros politécnicos, nota-se que a maior discrepância entre a oferta e a procura acontece em Bragança: das 1908 vagas apenas preencheu 711, ou seja, 37 por cento do total.

Castelo Branco ocupou 487 das 881 disponíveis (55 por cento) e Portalegre, com 551 vagas, preencheu 231 (45 por cento).

Em relação ao ano lectivo passado, o Instituto Politécnico da Guarda cresceu 21 por cento na procura: passou de 317 para 384 novos alunos.

É também a primeira vez em vários anos que a instituição da Guarda consegue ocupar mais de metade da oferta nos resultados da primeira fase, consolidando um crescimento que tem vindo a ser visível desde 2014.

No ano anterior, 2013, apenas 27 por cento das vagas tinham ficado preenchidas. Nos anos seguintes, e sem ter havido praticamente variação no número de lugares a concurso, o Politécnico da Guarda consegiu aumentar as colocações, de uma forma progressiva: logo em 2014 teve uma ocupação de 41 por cento; em 2015 foi de 47 por cento e em 2016 decresceu ligeiramente, fixando-se nos 46 por cento.

Este ano deu um “salto” para os 56 por cento, sem que o número de vagas tenha aumentado significativamente: foram apenas mais 4 (de 676 para 680).

Sobram assim 298 lugares para a segunda fase de acesso ao ensino superior, sendo que alguns cursos já estão completos ou praticamente cheios.

Como habitualmente, a licenciatura em Enfermagem (na Escola Superior de Saúde) preencheu a totalidade das 70 vagas. A novidade este ano é a ocupação plena da licenciatura em Gestão (na Escola Superior de Tecnologia e Gestão), onde não sobrou nenhuma das 40 vagas. Também na ESTG a licenciatura em Marketing  tem apenas um lugar livre (dos 27) e a de Turismo e Lazer (na Escola Superior de Turismo e Hotelaria) tem duas das 28 vagas por preencher.

Desporto, Comunicação e Relações Públicas, Comunicação Multimédia, Gestão de Recursos Humanos e Gestão Hoteleira são outras licenciaturas que tiveram também razoável procura.

Sem uma única colocação nesta primeira fase estão a Engenharia Civil e a Engenharia Topográfica.

A última nota mais alta de acesso aos cursos do IPG foi registada em Gestão (12,2) e a mais baixa em Desporto (9,57).