Quatro anos depois de ter prometido uma Guarda com futuro, o PSD pede agora confiança nesse futuro. Na apresentação do programa eleitoral para o próximo mandato, Álvaro Amaro reclama que a cidade e o concelho estão diferentes e, por isso, os compromissos até 2021 baseiam-se na «continuidade» e na «estabilidade» mas também na «renovação» e na «ambição». Há propostas para todas as áreas, destacando o candidato dez pontos estratégicos: estabelecimento de um centro tecnológico automóvel; programa de apoio ao investimento e à promoção do emprego; construção de um centro de exposições transfronteiriço; construção da alameda entre a VICEG e o centro da cidade; requalificação da Praça Velha (com o contributo da Ordem dos Arquitectos) e criação de um sistema financeiro de apoio à recuperação de edifícios privados degradados na zona antiga; programa de apoio municipal às instituições de solidariedade social; construção dos Passadiços do Mondego, despoluição dos Rios Diz e Noéme e abertura de 100 quilómentros de ecovias; criação de um centro náutico e de lazer na Barragem do Caldeirão; formação de um centro tecnológico do ar da Guarda; e construção do Quarteirão das Artes. O presidente da Câmara e candidato a um segundo mandato quis mesmo explicar, praticamente caso a caso, onde irá buscar recursos para cada um dos empreendimentos. Por isso, começou a apresentação por uma espécie de lição de finanças municipais direcionada a alguns dos adversários.

Oiça aqui: