A cantora brasileira Adriana Calcanhoto integra o júri do Prémio Eduardo Lourenço e vai estar na Guarda, na próxima sexta-feira, para a escolha do vencedor da edição deste ano do galardão instituído pelo Centro de Estudos Ibéricos. 

A compositora e intérprete é o membro convidado do painel que vai atribuir o prémio. Está, actualmente, a colaborar com a Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, onde desenvolve projectos nas áreas de Língua Portuguesa e Estudos Artísticos.

O júri reúne sexta-feira à tarde na sede do Centro de Estudos Ibéricos e é constituído pelo presidente da Câmara da Guarda (que preside), pelos reitores das universidades de Coimbra e Salamanca, por membros das comissões executiva e científica do CEI e por quatro personalidades convidadas: Adriana Calcanhoto, Walter Rossa (catedrático de Arquitetura da Universidade de Coimbra), Pedro Serra (director do departamento de Filologia Portuguesa da Universidade de Salamanca) e José Luis Fuentecilla Lastra (subdirector da rede informativa Mediaset Espanha).

É a décima terceira edição do prémio, no valor de 7.500 euros, que tem o nome do patrono e director honorífico do Centro de Estudos Ibéricos.

Em anos anteriores o Prémio Eduardo Lourenço distinguiu Maria Helena da Rocha Pereira (2004), Agustín Remesal (2006), Maria João Pires (2007), Ángel Campos Pámpano (2008), Jorge Figueiredo Dias (2009) e César António Molina (2010), Mia Couto (2011), José María Martín Patino (2012) e Jerónimo Pizarro (2013), Antonio Sáez Delgado (2014), Agustina Bessa-Luís (2015) e Luis Sepúlveda (2016).