Duas reuniões e nenhuma conclusão. A escolha do candidato à Câmara da Guarda pelo Partido Socialista tornou-se agora num pacto de silêncio, tantas que foram as datas anunciadas e não cumpridas. E ontem, no final da sessão do executivo municipal, o vereador que já terá dado conta da indisponibilidade às estruturas do partido limitou-se a dizer que só confirmará e explicará a decisão depois de a concelhia do PS anunciar o nome que concorrerá contra Álvaro Amaro. E assim a primeira reunião de Março decorreu dentro da normalidade, com Joaquim Carreira e o presidente da autarquia a divergirem sobre as opções para a recuperação do antigo edifício dos Paços do Concelho, onde ficará a sede a Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela.

Oiça aqui: