Depois de um novo alerta da Quercus, que disse ter recebido da empresa  “Águas de Lisboa e Vale do Tejo” a informação de que o efluente da empresa têxtil que existe na zona da Gata continua sem ser encaminhado para a ETAR de São Miguel [ver notícia anterior aqui], a Câmara da Guarda - também visada nas críticas da associação ambientalista - assegura que vai reunir todos os envolvidos, na procura de uma solução.

Oiça aqui: