Actualidade

Já deixou de se falar de agregação ou fusão de institutos politécnicos e universidades no Interior. A estratégia, agora, é promover consórcios que mantenham e reforcem uma rede essencial para o desenvolvimento destas regiões, diz o secretário de Estado do Ensino Superior. Em declarações à Rádio, João Sobrinho Teixeir, garante que há sinais optimistas para o futuro dos politécnicos. E outro desafio é saltar fronteiras e continentes, assinala.

Oiça aqui:

Na edição desta semana do programa da Rádio "Local Global", Fábio Pinto defendeu que o Partido Socialista deve reaproximar-se dos autarcas de freguesias que, sendo militantes ou simpatizantes do PS, concorreram como independentes ou pelo PSD. Esta é a oportunidade, depois de Álvaro Amaro os ter «abandonado» e antes que o novo executivo municipal acabe por cimentar essa relação, considerou. Isto a propósito da polémica, na última Assembleia Municipal, entre a bancada socialista e o presidente da junta de Vila Cortês do Mondego [ver notícia anterior aqui].

Oiça aqui:

 

 

A eventual transferência de uma das encomendas em produção na fábrica do Carregado, na zona de Lisboa, é uma das esperanças para a manutenção da unidade da DURA em Vila Cortês do Mondego, no concelho da Guarda. A comissão de trabalhadores reuniu esta terça-feira com o presidente da Câmara, a quem fez um apelo, também dirigido ao Governo, para uma acção de diplomacia económica que permita salvar os postos de trabalho.

Oiça aqui:

“Por Terras do Zeca” é um tributo à obra de José Afonso, com interpretações de Zeca Medeiros, Filipa Pais, Maria Anadon e João Afonso (sobrinho do cantor). É hoje às 21h30 no Grande Auditório do Teatro Municipal da Guarda. Antes, às 18h, é apresentado na Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço o livro "Zeca Afonso - Inédito". O poeta e compositor nasceu há 90 anos.

Oiça aqui:

Sérgio Costa é o novo vice-presidente  da Câmara da Guarda. Foi assim cumprida mais uma etapa na tentativa de normalização, por parte do novo presidente e do PSD, depois da saída de Álvaro Amaro. Onde se chegou a antever um confronto interno, houve a decisão que Carlos Monteiro diz ser a natural  e a mais lógica: o vereador do Ambiente e do Urbanismo tem o perfil e as qualidades que fazem dele a escolha, refere. O número quarto da lista do PSD é agora número dois da Câmara e Cecília Amaro é também, desde ontem, vereadora, tendo a cargo algumas das pastas que estavam com o anterior presidente, Álvaro Amaro, nomeadamente o Apoio ao Investimento, o Empreendedorismo, as Empresas, o Desenvolvimento Estratégico e a Modernização Administrativa. De resto não há mudanças nos pelouros. E todos os vereadores da maioria vão ficar a tempo inteiro. Mesmo Victor Amaral assumirá funções, a partir de Agosto, em regime de permanência. A justificação prende-se com a candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura, que exigirá disponibilidade. Mas para a oposição esta reorganização reflecte apenas um equilíbrio de forças. E embora o PS tenha também nomeado todos os vereadores a tempo inteiro (por exemplo no último mandato de Joaquim Valente, igualmente com cinco eleitos), Eduardo Brito considera que os erros do passado não podem jutificar decisões no presente. Porém, para Carlos Monteiro, o Partido Socialista apenas evidencia ter ficado sem discurso. A equipa da maioria é coesa e vai cumprir o programa eleitoral que a todos vincula, assegura o presidente da Câmara.

Oiça aqui:

 

O Vila Franca das Naves é campeão distrital de futebol da 2ª divisão. Na vilado concelho de Trancosofesteja-se o título distrital e a subida ao principal campeonato da Associação de Futebol da Guarda. Apesar de ter sido ultrapassado na última jornada, o Foz Côa também assegurou a promoção. As equipas do concelho da Guarda ficaram em 6º lugar (Guarda Desportiva) e em 9º (Casal de Cinza).

Oiça aqui:

Foi a partir da Guarda que se formou a Orquestra Académica Filarmónica Portuguesa e é nesta cidade que está fixada a sede do projecto musical que tem como principal objectivo a formação de jovens talentos. Junta alunos de instituições locais e alguns dos melhores jovens intérpretes a nível nacional. As residências artísticas são dirigidas pelo maestro Osvaldo Ferreira e decorrem no Teatro Municipal da Guarda, onde foi feito o concerto de estreia. A parceria com a Câmara da Guarda (instalações e logística) custa cerca de 70 mil euros.

Oiça aqui: